A Croácia joga neste domingo (15) a partida mais importante de sua história, a final da Copa do Mundo 2018 contra a França, em Moscou, às 12h. E o técnico Zlatko Dalic espera que um “terremoto” aconteça se seu país for campeão pela primeira vez.

“Apesar da crise, a Croácia colocou todos os problemas para trás e está conosco na Copa no último mês. Espero que se ganharmos a Copa aconteça um terremoto em Croácia, é o que mais motiva nossa torcida. Penso em milhares de pessoas saindo às ruas para comemorar”, disse Zlatko.

Foto: HNS | CFF

ALEX SABINO, DIEGO GARCIA, FÁBIO ALEIXO E LUIZ COSENZO
MOSCOU (FOLHAPRESS) –

O treinador também minimizou a história francesa nas Copas. O adversário dos croatas venceu o torneio em 1998 e foi vice em 2006, após derrota para a Itália na decisão.

“Eu não sou muito ligado a estatísticas. Tradições são feitas para ser demolidas. Nós viemos aqui para aproveitar a final e dar o nosso máximo. Não importa quem é o rival, nós temos o mundo inteiro querendo ver a Croácia. Nós queremos aproveitar nosso futebol, e o melhor time vai vencer”, apontou Zlatko Dalic.

Além da tradição dos franceses, os croatas têm outro número negativo: jamais venceram o adversário deste domingo (15). São cinco confrontos, com três derrotas e dois empates.

Há 20 anos, a França bateu a mesma Croácia, de virada, na semifinal da Copa do Mundo. Naquela oportunidade, os croatas apostavam no artilheiro Davor Suker, autor de seis gols na competição. Agora, a esperança é Modric, candidato a melhor do mundo.

O meia de 32 anos vem sendo um dos principais nomes da equipe até o momento e é apontado como possível vendedor do prêmio da Fifa no fim do ano, desbancando Cristiano Ronaldo e Lionel Messi -eliminados nas oitavas de final da Copa- pela primeira vez após 10 anos.

“Eu passei por muitas dificuldades na minha vida. O mais importante é nunca desistir, nunca se entregar, confiar em você mesmo e seguir em frente. No caminho, haverá muitos altos e baixos, mas você tem que confiar e acreditar em você mesmo. Tem que lutar para realizar seus sonhos e ter sucesso.

Tudo isso me levou a este ponto na minha vida”, disse Modric.

O jogador, contudo, não se importa com a condecoração de melhor jogador do planeta.

“Estou focado apenas no sucesso da seleção croata. Quando você é mencionado nesse contexto (prêmio de melhor do mundo), é claro que sempre é muito bom, e me deixa feliz, mas não me preocupo com isso”, disse o meio-campista.

“Quero que meu time ganhe. Quero ser campeão amanhã. As outras coisas estão além do meu controle. O que mais importa para mim é a seleção. Prêmios ou distinções individuais não são minha prioridade agora”, continuou Modric.

Croácia e França se enfrentam às 12h deste domingo (15), no estádio Lujniki, em Moscou.

FRANÇA
Lloris; Pavard, Varane, Umtiti, Lucas Hernandez; Kanté, Matuidi, Pogba; Mbappé, Giroud, Griezmann. T.: Didier Deschamps
CROÁCIA
Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida, Strinic; Brozovic, Rakitic, Modric, Rebic, Perisic; Mandzukic; T.: Zlatko Dalic
Local: estádio Lujniki, em Moscou
Horário: 12h deste domingo
Juiz: Nestor Pitana (ARG)
Fonte: Cidadeverde.com
COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here