A Prefeitura de São Paulo já definiu uma proposta de mudança nas linhas de ônibus da cidade e, ao mesmo tempo, começa a analisar a possibilidade de implementar, a longo prazo, outro tipo de transporte: a criação de linhas de hidrovias para a navegação de barcos de passageiros nas represas e rios da capital paulista.

O projeto de um novo modal de transporte, com barcos de passageiros, integrado aos ônibus e trens, no entanto, seria a longo prazo, segundo a Prefeitura.

Vista aérea da região da represa Billings, em São Paulo. A imagem foi feita em dezembro de 2005 (Foto: SEBASTIÃO MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO/ARQUIVO)

Vista aérea da região da represa Billings, em São Paulo. A imagem foi feita em dezembro de 2005 (Foto: SEBASTIÃO MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO/ARQUIVO)

 Em 2017, o prefeito João Doria (PSDB) promulgou a lei nº 16.703, que trata do Plano Municipal de Desestatização (PMD). O projeto está associado à meta 44 do Programa de Metas da gestão. A proposta inclui a previsão de contrato com uma entidade que terá como “escopo realizar a exploração, administração, manutenção e conservação de terminais de ônibus do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros e do Sistema de Transporte Público Hidroviário na cidade de São Paulo”.

Apesar disso, o edital que orienta o processo de licitação do transporte público em São Paulo não incluirá o transporte hidroviário. Segundo a SPTrans, a pedido do grupo de estudos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), por intermédio de Ricardo Nunes, o secretário Sérgio Avelleda concordou em iniciar uma série de reuniões para discutir o projeto.

“No entanto, não há nenhum projeto definido, tampouco previsão de implementação de projetos dessa natureza no curto prazo. Não há consulta pública específica sobre esse tema. A previsão é apenas de que, quando houver sistema fluvial, os ônibus deverão se integrar a ele”, diz a nota da SPTrans.

Antes, disso, em 2014, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou a Lei 16.010/14, projetada pelo vereador Ricardo Nunes (PMDB), para a inclusão do sistema de transporte público hidroviário na capital paulista. No mesmo ano, a Prefeitura incluiu a “integração entre os sistemas de transporte coletivo, viário, cicloviário, hidroviário e de circulação de pedestres” no Plano Diretor.

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here