Placar de 4 a 2 consagra Deschamps como campeão dentro e fora de campo

Foi uma final que teve todos os ingredientes que marcaram a Copa do Mundo da Rússia: a utilização do VAR, gols de bola parada, erros de goleiros e a vitória do time que teve menos posse de bola e volume de jogo. Com gols de Griezmann, Pogba, Mbappé e Mandzukic (contra), a França derrotou a Croácia por 4 a 2 e levou seu segundo título mundial, 20 anos após o primeiro triunfo, em casa, contra o Brasil. O resultado coloca Didier Deschamps no seleto rol de quem foi campeão do mundo como jogador e treinador, ao lado de Zagallo e Beckenbauer.

Doze anos após sua última final, quando foi vice-campeã na Copa da Alemanha, a França voltou a decidir um Mundial. Sem surpresas, o técnico Didier Deschamps, campeão do mundo em 1998, mandou a campo o mesmo time que jogou a semifinal contra a Bélgica, com Mbappé e Matuidi abertos pelos lado e Griezmann pelo centro, atrás do centroavante Giroud, que ainda não balançou as redes na Rússia.

A Croácia também não teve novidades. Armada num 4-2-3-1 pelo treinador Slatko Dalic, a seleção do leste europeu apostou no talento de seu meio-campo, que tem nomes de peso como Rakitic, Modric e Perisic, homens responsáveis por municiar Mandzukic, que atuava como a referência da área.

Os primeiros dez minutos de partida viram a Croácia com suas linhas adiantadas no campo francês. A postura, no entanto, não rendeu frutos, já que a França estava muito bem postada defensivamente e não permitiu brechas que pudessem causar problemas para Hugo Lloris.

Aos 18 minutos, o herói da classificação na prorrogação contra a Inglaterra virou o vilão croata. Depois de cobrança de falta de Griezmann, Mandzukic tentou afastar a bola, mas ela desviou em sua cabeça e entrou no canto direito da meta de Subasic, deixando a França na frente por 1 a 0.

AS IMAGENS DE FRANÇA E CROÁCIA NA FINAL DA COPA DA RÚSSIA, NO ESTÁDIO LUZHNIKI, EM MOSCOU

  • França bicampeã: o técnico Didier Deschamps, que também ganhou título como jogador, é festejado pelos jogadores francesesFoto: MAXIM SHEMETOV / REUTERS

  • O presidente francês Emmanuel Macron comemora o quarto gol francês na tribuna do estádio Luzhniki. Do outro lado, de pé, a presidente croata, Kolinda Grabar-Kitarovic. Infantino e Putin aplaudem Foto: DAMIR SAGOLJ / REUTERS

  • Mandzukic corre para pegar a bola no fundo da rede francesa para apressar o reinício da partida e tentar o empateFoto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS

  • O goleiro francês Hugo Lloris tenta um drible na frente do gol e o croata Mario Mandzukic faz o segundo gol da Croácia na final da Copa da RússiaFoto: MAXIM SHEMETOV / REUTERS

  • Festa francesa no gramado após 0 4º gol, do jovem MbappeFoto: MAXIM SHEMETOV / REUTERS

  • O craque francês comemoraFoto: CHRISTIAN HARTMANN / REUTERS

  • Mbappe chuta e faz o 4º gol da FrançaFoto: DARREN STAPLES / REUTERS

  • Mbappe chuta e faz o 4º gol da FrançaFoto: KAI PFAFFENBACH / REUTERS

  • França em festa no estádio em MoscouFoto: CARL RECINE / REUTERS

  • Paul Pogba comemora o terceiro gol francês na finalFoto: MAXIM SHEMETOV / REUTERS

  • O presidente francês Emmanuel Macron comemora o gol francês na tribuna do estádio Luzhniki. Do outro lado, a presidente croata, Kolinda Grabar-Kitarovic Foto: DAMIR SAGOLJ / REUTERS

  • Griezmann faz de pênalti o segundo gol francês na final da Copa da Rússia contra a CroáciaFoto: CARL RECINE / REUTERS

  • O croata Ivan Perisic faz golaço e empata a grande final da Copa da Rússia contra a FrançaFoto: KAI PFAFFENBACH / REUTERS

  • França e Croácia na final da Copa da Rússia, no estádio Luzhniki, em MoscouFoto: CARL RECINE / REUTERS

  • O presidente da França, Emmanuel Macron, e a presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, se cumprimentam na tribuna de honra antes da final da Copa da RússiaFoto: DAMIR SAGOLJ / REUTERS

  • Macron e Kolinda Grabar-Kitarovic se abraçam em clima amistosoFoto: DAMIR SAGOLJ / REUTERS

  • Ronaldinho Gaúcho participa da festa de encerramento da Copa da Rússia no estádio Luzhniki Foto: CARL RECINE / REUTERS

  • Ronaldinho Gaúcho toca atabaque na festa de encerramento da Copa da Rússia no estádio Luzhniki Foto: CARL RECINE / REUTERS

  • Brasileiro foi muito aplaudido quando apareceu batucando instrumentoFoto: CHRISTOPHE SIMON / AFP

  • Os cantores Nicky Jam e Era Istrefi, com Will Smith, cantam na cerimônia de encerramento da Copa da Rússia no estádio Luzhniki, em MoscouFoto: MAXIM SHEMETOV / REUTERS

  • A festa de encerramento da Copa do Mundo da Rússia antes da final entre França e Croácia, no estádio LuzhnikiFoto: CHRISTIAN HARTMANN / REUTERS

  • França e Croácia na final da Copa da Rússia, no estádio Luzhniki, em MoscouFoto: JEWEL SAMAD / AFP

  • Croatia’s supporters cheer their team ahead of the Russia 2018 World Cup final football match between France and Croatia at the Luzhniki Stadium in Moscow on July 15, 2018. / AFP PHOTO / Kirill KUDRYAVTSEV / RESTRICTED TO EDITORIAL USE – NO MOBILE PUSH ALERTS/DOWNLOADSFoto: KIRILL KUDRYAVTSEV / AFP

  • A presidente da Croácia Kolinda Grabar-Kitarovic com seu marido na tribuna do estádio Luzhniki para a final da Copa da Rússia contra a FrançaFoto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS

  • Croatia’s supporters cheer their team ahead of the Russia 2018 World Cup final football match between France and Croatia at the Luzhniki Stadium in Moscow on July 15, 2018. / AFP PHOTO / Kirill KUDRYAVTSEV / RESTRICTED TO EDITORIAL USE – NO MOBILE PUSH ALERTS/DOWNLOADSFoto: KIRILL KUDRYAVTSEV / AFP

Dez minutos mais tarde, a França também provou de seu veneno. Após falta cobrada para o segundo pau, a bola sobrou na entrada da área para Perisic, que driblou e chutou cruzado de esquerda para empatar o jogo.

Logo na sequência, o VAR voltou a ser protagonista na Copa. Após escanteio batido por Griezmann, Perisic colocou a mão na bola. Alertado pelo árbitro de vídeo, o juiz argentino Nestor Pitana consultou as imagens e marcou o pênalti. Griezmann cobrou com categoria e fez 2 a 1 para a França.

Aos nove da etapa final, Deschamps tirou Kanté, que tinha cartão amarelo, para a entrada de N’Zonzi. Apesar de precisar correr atrás do prejuízo, a Croácia não conseguia criar tramas de ataque eficientes, e a França apenas administrava o placar.

Num jogo de pouquíssimas jogadas trabalhadas, o terceiro gol francês saiu de uma trama com a bola no chão. Pogba lançou Mbappé em profundidade. O atacante do PSG encarou a marcação, levou para a linha de fundo e tocou para o centro da área. Griezmann dominou, girou e ajeitou para Pogba, que bateu de primeira. A bola bateu na zaga e voltou, e o meia do Mancheter United, de canhota, chutou de chapa, com categoria, para aumentar a diferença para 3 a 1.

Pouco depois, a partida virou goleada. Mbappé recebeu na meia-lua, não encontrou resistência e chutou rasteiro. Inexplicavelmente, Subasic não foi na bola e levou o quarto gol. O favor foi retribuído imediatamente por Lloris, que tentou driblar na pequena área e deu um gol para Mandzukic, deixanto o jogo em 4 a 2 para a França.

No final, foi consagrado o trabalho de melhor preparação e planejamento. Há seis anos no comando da seleção francesa, Deschamps viu o título da Eurocopa escapar pelas mãos na final de 2016, na qual a França perdeu para Portugal depois de ter apresentado o melhor futebol do torneio. Com seis titulares daquela equipe na grande final contra a Croácia, Les Bleus têm uma geração jovem que ainda terá outro ciclo de Copa do Mundo pela frente. Se manter esse processo, a França chegará ao Catar com condições de lutar pelo tricampeonato.

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here