PILATES NAS PATOLOGIAS CARDÍACAS

As doenças que acometem o sistema cardíaco são silenciosas e com alto poder de mortabilidade. A falta de atenção da população com cuidados básicos de alimentação, a prática regular de atividade física leve, moderada ou intensa, a falta de bem-estar pessoal, emocional e profissional, somada a pouca procura médica como prevenção e tratamento de fatores de risco, faz das doenças cardíacas uma das doenças com altos índices de óbitos e internações hospitalares no Brasil e no mundo.

Alguns fatores de risco que podem desencadear para as enfermidades do sistema circulatório que acometem os vasos sanguíneos, o coração e o cérebro, que sejam os responsáveis por mais de 40% da mortalidade global em todo o mundo, são: sexo masculino, idade avançada, tabagismo (9%), hipertensão arterial (13%), diabetes mellitus (6%), sobrepeso (5%), sedentarismo (6%), histórico familiar de doença cardiovascular e perfil lipídico alterado.

            A prática de exercícios físicos combinados com a terapia farmacológica são bastante empregados em pacientes cardiopatas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda para crianças e adolescentes 1 hora de atividade física moderada à intensa por dia, por exemplo:

  • Correr 2 km em 15 minutos;
  • Nadar por 20 minutos;
  • Dançar durante 30 minutos;
  • Caminhar 3 km em 35 minutos;
  • Andar de bicicleta por 30 minutos (+ 10 km);
  • Jogar voleibol durante 45 minutos;
  • Subir e descer escadas durante 15 minutos;

  Para adultos (maiores de 18 anos) 150 minutos de atividade de intensidade moderada por semana; para a redução de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e depressão.

A fim de melhorar funções cardiorrespiratórias e musculares, ossos, reduzir o risco de DCNT e depressão deve-se realizar no mínimo 150 minutos de intensidade moderada de atividade física aeróbica por semana ou pelo menos 75 minutos de intensidade vigorosa de atividade física aeróbica por semana. Pode ser também uma combinação equivalente de atividade moderada e de intensidade vigorosa.

Para aumentar a qualidade da saúde, os adultos devem aumentar a sua atividade de intensidade moderada aeróbica para 300 minutos por semana, ou 150 minutos de intensidade vigorosa por semana, ou uma combinação equivalente de atividade moderada e de intensidade vigorosa.

Atividades de fortalecimento muscular deve ser feito envolvendo grandes grupos musculares em 2 ou mais dias por semana.

PRINCIPAIS PATOLOGIAS CARDÍACAS

 

Veja a lista das principais doenças:

  • AVC – acidente vascular cerebral

É causado por uma interrupção do fornecimento de sangue ao cérebro, que pode ser causado por um bloqueio no suprimento sanguíneo devido a uma placa de ateroma (AVC isquêmico) ou pelo rompimento de uma artéria ou veia que irrigue o hemisfério cerebral (AVC hemorrágico).

Fatores de risco para desenvolver AVC: pressão arterial alta, fibrilação arterial (disfunção do ritmo cardíaco), colesterol alto, uso de cigarro, dieta inadequada, inatividade física, diabetes não controlada e idade avançada.

  • Ataque cardíaco –

O ataque cardíaco, também conhecida como trombose coronariana ou enfarte do miocárdio, acontece quando se forma um coágulo sanguíneo numa das artérias coronárias (os vasos sanguíneos que levam ao coração), impedindo a distribuição de sangue ao coração. O bloqueio também pode resultar de um espasmo (estreitamento súbito) de uma artéria coronária. O ataque cardíaco muitas vezes causa dor e pressão intensas no peito. A dor pode passar do peito para o pescoço, maxilar, orelhas, braços e punhos.

  • Angina

A angina é uma síndrome clínica caracterizada por dor ou desconforto em qualquer das seguintes regiões: tórax, epigástrio, mandíbula, ombro, dorso ou membros superiores, sendo tipicamente desencadeada ou agravada com atividade física ou estresse emocional e atenuada com uso de nitroglicerina e derivados. A angina usualmente acomete portadores de DAC com comprometimento de, pelo menos, uma artéria epicárdica. Entretanto, pode também ocorrer em casos de doença cardíaca valvar, cardiomiopatia hipertrófica e hipertensão não controlada.

A angina é também classificada como estável e instável. É importante identificar a angina instável, pois está muito relacionada com um evento coronariano agudo. A angina instável pode ser divida em três grupos, conforme certas características clínicas: angina em repouso, angina de aparecimento recente, angina crescente.

Pilates para patologias cardíacas – como o método Pilates pode auxiliar no tratamento

O Pilates é um método de condicionamento físico que promove bem estar, melhora da respiração, concentração, controle, centralização, precisão e fluência são os seis princípios básicos do método Pilates, os quais associados ao baixo impacto na execução dos movimentos, juntamente a realização do trabalho de flexibilidade, coordenação, alinhamento postural, propriocepção e força muscular em solo, ou com aparelhos e acessórios, objetivam primordialmente a obtenção do condicionamento físico através da integridade harmoniosa entre corpo e mente .

            Os exercícios do método Pilates são indicados por muitos profissionais da medicina com objetivo direcionado à recuperação da função de algumas estruturas osteomusculares, articulares, para fortalecimentos e ganho de amplitude de movimentos. Tornaram-se popular na reabilitação de diversas patologias e no fitness, sendo utilizado por atletas, bailarinos e pessoas que buscam melhorar o desempenho físico associado à correção postural proveniente de suas práticas (MARCHESONI; 2016).

            Utilizado por educadores físicos e fisioterapeutas, com objetivo de adaptar os indivíduos a um novo estilo de vida através da prática dos exercícios, o método Pilates proporciona maior aptidão física aos pacientes cardiopatas (MARCHESONI, 2016).

O método Pilates é um exercício resistido de baixa intensidade e indicado para os hipertensos em complemento ao treinamento aeróbio. Os exercícios do método são seguros e adaptados individualmente.

Estudos comprovam que método Pilates além de melhorar a qualidade de vida, diminui a freqüência cardíaca, a freqüência respiratória e o estresse, este que também é um fator de risco para as doenças cardíacas.

 Um recente estudo avaliou o efeito do Mat Pilates na pressão arterial de mulheres hipertensas medicadas e concluiu que o Pilates melhorou significativamente a Pressão Arterial Sistólica (PAS), Pressão Arterial Diástólica (PAD) e Pressão Arterial média (PAM) quando comparadas ao grupo controle (Martins-Meneses et al., 2016).

Os efeitos fisiológicos do exercício físico podem ser classificados em agudos imediatos, agudos tardios e crônicos. Os efeitos agudos imediatos acontecem durante ou imediatamente após o exercício e são eles: o aumento da freqüência cardíaca, da ventilação pulmonar e da sudorese.

            Os efeitos agudos tardios ocorrem entre 24 a 72 horas após exercício físico onde ocorrerem: discreta redução dos níveis tensionais, especialmente nos hipertensos, melhora da função endotelial e aumento da sensibilidade insulínica na musculatura esquelética.

Fonte:

  1. Fatores de risco para doenças cardiovasculares em servidores de instituição prisional: estudo transversal. Epidemiol. Serv. Saude, Brasília, 25(2):301-310, abr-jun 2016
  2. Mat Pilates training reduced clinical and ambulatory blood pressure in hypertensive women using antihypertensive medications. InternationalJournalofCardiology, vol 179, pag 262-268, 2015.
  3. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE Atividade Física – Folha Informativa N° 385 – Fevereiro de 2014, disponível em:http://actbr.org.br/uploads/conteudo/957_FactSheetAtividadeFisicaOMS2014_port_REV1.pdf
COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here