A 2ª Promotoria de Justiça de União está atuando pelo controle do desmatamento irregular em áreas de proteção ambiental. A promotora  de Justiça Gianny Vieira de Carvalho, titular na comarca, denuncia que  uma empresa realizou desmatamento de  463 hectares de uma Área de Preservação Permanente (APP) do município.

A empresa possui terras dentro do município e as utiliza para o plantio de cana-de-açúcar em forma de monocultura.

A plantação original se encontra nos arredores da rodovia PI-112, no sentido União-Teresina. Contudo, a empresa comprou e arrendou diversos imóveis, onde a vegetação, segundo o Ministério Público, é preservada e protegida pela lei ambiental federal, já que se trata de uma APP.  A área é verde, com cocais, carnaúbas, buritizeiros e outras espécies nativas protegidas por lei. O desmatamento seria de 463 hectares.

“O município de União tem 98% de sua área territorial em região de preservação ambiental, porque abriga dois dos principais biomas do Brasil: Mata Atlântica e Mata dos Cocais. Assim, a região não pode ser desmatada sem as Licenças Ambientais necessárias”, explica Gianny Carvalho.

A representante do Ministério Público tomou conhecimento e acionou a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM).

“No local há pequenas fontes naturais de água, animais silvestres e um cemitério de valor cultural histórico para a comunidade local. A empresa devastou tudo, utilizando tratores com correntes. Não ficou nada em pé”, relata a representante do Ministério Público. Foi constatada também, de acordo com a promotora, a existência de vários canos puxando água do Rio Parnaíba sem licença ou outorga.

Fonte; Cidadeverde.com 

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here