Juninho Pernambucano foi polêmico na tarde desta sexta-feira. O comentarista e ex-jogador participou do “Seleção SporTV” e falou sobre a crise no Flamengo que derrubou seis dirigentes e membros da comissão técnica na última quinta. Para Juninho, a barração de Renê no jogo contra o Botafogo se deu por causa do preconceito da torcida rubro-negra com o lateral-esquerdo.

– Falta comando. É a torcida que escala o Vinicius Junior. A torcida tirou o Renê. Você vai para uma semifinal em que você tem a vantagem do empate, a torcida tira o Everton, que joga na ponta esquerda, que é decisivo, para improvisá-lo na lateral porque o Vinicius Junior tem que jogar e o Renê é ruim. Mas como o Renê é ruim se chegou no Flamengo? Cada um tem sua característica. O Renê é feio, é nordestino e não é amigo de ninguém. Essa é a realidade. O Brasil é preconceituoso. O brasileiro é preconceituoso. E a torcida da massa é preconceituosa (“torcida da massa” é a forma como Juninho já se referiu à torcida do Flamengo outra vez).

Renê é apresentado no Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

o Distrito Federal, somos de todas as cores, credos, tamanhos e gêneros. Somos do sul, sudeste, centro-oeste, norte e nordeste. Somos do Brasil e do exterior. Somos todos, menos alguns! Na nossa arquibancada a mistura de sotaques, rostos, classe social e, tudo que forma o ser humano, estará sempre presente.

O Flamengo sempre estará à frente de todas as lutas. Seja contra o racismo, pela luta da mulher por respeito no trabalho, causas sociais e tudo que for relevante para construir um mundo melhor. Nosso DNA não combina com discriminação, muito menos com a xenofobia.

Vale ressaltar que o comentarista fez outras críticas, emitiu opiniões sobre atletas e o comando do clube. Democráticos e inclusivos que somos, respeitamos a liberdade de expressão, mas uma acusação de preconceito não podemos aceitar.

Por fim, a não utilização de Renê ou qualquer atleta do elenco restringe-se a escolhas táticas, técnicas e físicas, algo que certamente um comentarista e ex-jogador deveria saber.

Ao saber da nota do Flamengo, Juninho disse ao Globoesporte.com que foi mal interpretado:

– Quando falei em preconceito, não foi para desmerecer pessoas ou entidades, muito menos o Flamengo. Falei em preconceito cultural. Preconceito histórico. Até na minha família tenho pessoas que têm algum tipo de preconceito. Posso estar errado mas é a impressão que tenho, é a minha opinião. Mas como jogador e comentarista respeito o Flamengo. Sempre respeitei.

Fonte:Riachao Net/Globesporte.com

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here