Com alegria no rosto e coração agradecido, o Coordenador de Saúde na Infância e Adolescência em Picos, Bruno Santos, encerrou a I Semana de Prevenção à Gravidez na Adolescência.

De acordo com ele, o evento não apenas supriu, mas superou todas as expectativas de sua equipe e de toda a Secretaria de Saúde do Município, atualmente gerida por Júnior Santos.

“Posso considerar que foi um sucesso. Não posso dizer que essa é a primeira semana. Gosto de falar que esta é a abertura da Semana de Prevenção à Gravidez na Adolescência, pois é um evento que entrou no calendário municipal. Todos os anos estaremos realizando-o. E nosso intuito é que mais e mais adolescentes tenham conhecimento sobre o assunto, sobre os cuidados que devem ter, sobre as consequências de uma gravidez precoce e indesejada”, disse Bruno Santos.

Na manhã de hoje (26) houve uma mesa de conversa com Nismélia Rodrigues, assistente social do Centro de Testagem e Aconselhamento – CTA, e Isabel Fontes, coordenadora do referido núcleo de saúde.

Nismélia apresentou aos estudantes cada uma das Infecções Sexualmente Transmissíveis e das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Ela também reforçou o apoio do CTA aos infectados e o sigilo que o núcleo tem para cada caso.

“Eu, como profissional de assistência social, fico feliz por um evento como esses estar acontecendo em Picos. É preciso que nossas crianças e adolescentes sejam informadas sobre os riscos de uma DST. E você viu aí, uma faixa etária bem eclética, entre 10 e 20, 25 anos, quem sabe?!?! Mas é preciso que a informação chegue a esses jovens de maneira clara e que eles saibam que, quando algo ruim acontecer, nós estaremos lá para ajudar”, falou.

A presidente do Conselho Tutelar, Pâmela Bezerra, juntamente com a conselheira Valtânia Barros, trouxeram aos estudantes alguns casos reais de adolescentes grávidas e explicaram de que forma o CT ajuda essas meninas e suas famílias.

“Trouxemos aqui algumas situações reais que o Conselho Tutelar vivenciou e vivencia em Picos. São casos de famílias desestruturadas, de adolescentes abandonadas ou em conflito de identidade, e precisamos fazer esse acompanhamento. Infelizmente, muitas vezes, não levamos o acompanhamento até o fim por conta das próprias famílias que dificultam nosso trabalho. Mas estamos aqui para isso: viabilizar os direitos que essa adolescente e sua criança têm. É preciso trabalharmos para que esses casos diminuam aqui em Picos, mas, quando acontecerem, que o nosso trabalho seja sempre o de garantir direitos”, afirmou Pâmela.

As estudantes de iniciais M.S., 16 anos, e T.S., 15 anos, ressaltaram a importância de o evento continuar acontecendo.

“O evento foi ótimo. Eu já sabia de muita coisa, porque, querendo ou não, a gente vê na televisão, escuta no rádio, na escola. Mas tipo, sobre as doenças sexualmente transmissíveis, eu não sabia de quase nenhuma delas, porque nem com minha mãe converso sobre isso. Então é importante a gente saber para se prevenir”, disse T.S.

“Diferente da minha amiga, eu converso tudo com minha mãe. Ela mesma me diz que antes de tudo devemos ser amigas. Então eu já sabia de tudo o que foi dito aqui, mas é importante esse tipo de evento porque muitos de nós não sabemos, não conversamos com nossos pais sobre. É preciso que alguém nos traga esse conhecimento”, declarou M.S.

Mais uma vez, o auditório esteve lotado de adolescentes, professores e estudantes de enfermagem. Ao fim da palestra, o CTA, em parceria com a Secretaria de Saúde, disponibilizou, para os adolescentes, vacinas contra o HPV.

O evento teve também a participação do grupo de músicos da Casa de Cultura.

Dados alarmantes

De acordo com Bruno Santos, a cidade de picos registrou, em 2018, 184 casos de gravidez em adolescentes. O coordenador disse que é um número consideravelmente alto para a cidade do porte de Picos.

“Os casos registrados nos deixaram estarrecidos. É um número muito grande. É necessário que trabalhemos com mais afinco para diminuir esse número, quem sabe até zerá-lo. Esses dados só nos mostram que nosso trabalho apenas começou. Esses meninos precisam de informação, precisam de aconselhamento. E é isso que estamos e continuaremos fazendo”, declarou.

Bruno falou ainda que as ações não param por aqui e que, agora, serão trabalhadas diretamente nas escolas e comunidades.

Veja fotos do evento:

Fonte e fotos: Cidadesnanet
COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here