O estudante do terceiro período de Medicina Altamiro Lopes dos Santos Neto, de 21 anos, foi preso por policiais do 20º BPM (Mesquita), na noite desta segunda-feira, por suspeita de ter assassinado a namorada, Patrícia Mitie Koike, de 22. O crime aconteceu em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele ainda tentou fugir do cerco da PM, mas acabou alcançado pelos policiais.

Altamiro foi autuado em flagrante na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) por homicídio e ocultação de cadáver. De acordo com a Polícia Civil, há indícios de que, quando foi encontrada, Patrícia já estava morta havia muitas horas.

Policiais em patrulhamento foram chamados por testemunhas que viram Altamiro ao volante de um Nissan March, com uma mulher muito machucada a seu lado, na Rua Doutor Barros Júnior, no Centro de Nova Iguaçu, por volta das 21h. O carro estava parado num porto de gasolina. Os PMs seguiram para a região e viram o estudante deixando o local, já próximo a um viaduto.

Quando chegaram ao veículo, os PMs encontraram Patrícia desacordada e com marcas de agressão. Já Altamiro, de acordo com os policiais militares, “parecia desorientado”. O jovem recebeu voz de prisão no local. Patrícia foi levada pelos PMs, dentro do próprio Nissan, para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, onde sua morte foi constatada.

Altamiro foi preso e levado para a DHBF

Altamiro e o carro foram levados para a DHBF. O veículo passou por uma perícia. Na delegacia, o jovem contou que ele e Patrícia haviam discutido na casa onde moravam, no Bairro da Luz. Altamiro disse que, durante o bate-boca, agrediu Patrícia e depois tentou socorrê-la.

Segundo ele, no caminho do hospital, a jovem teria começado a tremer, o que fez com parasse no posto de gasolina para pedir ajuda. Os frentistas, ao se aproximarem do Nissan, acharam que Patrícia já estava morta. Com isso, a PM foi acionada.

Altamiro foi submetido a exame toxicológico, que não constatou a presença de álcool nem de drogas em seu organismo. De acordo com os investigadores, os jovens se conheciam desde o Ensino Médio e moravam juntos havia um ano e meio. Os pais do estudante, que são médicos, estão vindo de Sorocaba, em São Paulo, onde moram. Já a família de Patrícia está no Japão.

Em nota, a Universidade de Nova Iguaçu (Unig) confirmou que Altamiro é aluno do curso de Medicina, mas disse não ter mais informações sobre o crime: “Somente Altamiro é aluno da Universidade Iguaçu. Altamiro Lopes dos Santos Neto é aluno do 3º período do curso médico. Mais informações sobre o fato ainda não são do conhecimento da Universidade”.

Fonte:Extra

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here